Podcast BNI | #409: Os ciclos dentro de um grupo do BNI

Podcast BNI | #409: Os ciclos dentro de um grupo do BNI

Por Ivan Misner, BNI Founder

Episódio 409: “Os ciclos dentro de um Grupo do BNI”

Ouça mais na playlist PODCAST BNI BRASIL

 

 

Priscilla:
Olá. Bem-vindo ao Podcast Oficial do BNI em Português trazido a você pelo BNI Brasil.

Sou Priscila Rice na voz de Kedma Franza. Estou na QComm Comunicação, em São Paulo, falando com o fundador e presidente do BNI, Dr. Ivan Misner, na voz de Oswaldo Quartim Barbosa, membro do BNI.

Olá Ivan, tudo bem?

Ivan:
Eu estou indo muito bem Priscila, Obrigado! Hoje, quero falar sobre os ciclos de um grupo do BNI. Eu acho que isso é muito importante porque todos os grupos passam por ciclos. Se o seu grupo está lutando agora para crescer, outros também estão. Se o seu grupo está no topo do mundo, ótimo, mas ano que vem pode não estar. A chave é reconhecer quando se está passando por um ciclo de baixa.

Você sabe, alguns grupos neste momento estão altamente energizados. Eles estão prosperando com valores extremamente elevados em seus ONFs. Outros estão fazendo o mínimo. Estão recebendo resultados médios.

Quando eu avalio grupos e seus relatórios PALMs, isso fica muito claro para mim. Eu identifiquei quatro fases ao longo dos últimos 30 anos.

Ao compreender essas fases, acredito que os membros podem se beneficiar muito mais de sua participação no BNI. Tenho observado muito mais que essas fases não são necessariamente cronológicas, podem durar por diferentes períodos de tempo. Tudo depende da resposta dos membros para os pontos críticos nos ciclos.

Vamos começar com os grupos que estão no topo do ciclo.

A primeira fase é o que eu chamo a fase “supercharged”. Estes são grupos que não estão dispostos a se contentar com a mediocridade quando a excelência é uma opção. Aliás, eu amo essa frase.

Eles são os maiores. Eles são os melhores. Eles são os grupos mais produtivos para os membros. Muitos deles têm mais de 50 membros. Suas equipes de liderança estão comprometidas com as políticas do BNI, os sistemas, as diretrizes. Os seus membros participam dos treinamentos frequentemente.

Quase todos os membros nestes grupos estão totalmente engajados no uso do BNI Connect. Eles completaram seus perfis, fizeram os seus depoimentos aos membros, pontos de educação e etc.

É muito comum ouvir um monte de histórias nestes grupos sobre as referências extremamente lucrativas. Eles relatam valores muito mais altos de “Obrigado por Negócio Fechado” do que empresas correlatas na mesma região. O nível de excitação com estes grupos é simplesmente elétrico. Estes são grupos impressionantes.

Se maioria destes pontos fez você se identificar, então está em um grupo “Supercharged”.

A segunda fase é chamada de “Engajados”.

Há uma série de grupos nesta fase. É uma boa fase, a propósito. Grupos nesta fase exercem alta energia positiva. São suscetíveis a experimentar a maioria ou todas as ideias que são oferecidas por seus Diretores. Eles utilizam a metodologia Givers Gain e participam de reuniões e treinamentos. Seus coordenadores de educação reveem regularmente o SuccessNet, leem artigos on-line e podcasts.

Além disso, eles tendem a criar um ambiente muito amigável. Eles têm uma grande cultura de apoio, são muito positivos. Eles têm mais membros do que a média. Eles geram um monte de referências e reforçam a prestação de contas do grupo. Eles também fazem mais negócios do que a média.

Estes grupos estão na fase “Engajados”. Muito eficaz e produtiva.

A terceira fase é o que eu chamo de “Status quo”. Nesta fase, os grupos tornaram-se um pouco complacentes. Eles estavam na fase Engajados e perderam um pouco da centelha que fez sucesso, ou podem ser um grupo menor, que já começou a aceitar a mediocridade. O grupo que está passando por essa fase tende a acreditar que as coisas estão bem como estão. Você sabe, eles estão bem. Eles não têm qualquer desejo premente de trabalhar mais ou desenvolver a qualidade ou a quantidade dos membros. Eles se sentem confortáveis com a quantidade de negócios que estão recebendo. Você sabe, não é grande, mas é bom.

Eles tendem a seguir a maior parte das políticas, mas definitivamente não todo o programa. Eles têm a estrutura básica. Você pode estar em um grupo e dizer que é BNI, mas eles perderam totalmente o entusiasmo e o espírito que contribui para um grande grupo BNI.

A propósito, Priscilla, é a fase de “status quo” que mais me abala. Eles aceitam a mediocridade quando excelência é uma opção. Eu brigo com eles e por eles.

A quarta fase é a “estagnada”. Grupos nesta fase tendem a ter inúmeros problemas. Eles têm problemas de atitude, questões de referência e atendimento. Infelizmente, a maioria dos membros está focado nos problemas e não nas soluções positivas. Eu descobri que quando grupos se concentram em problemas e não nas soluções, eles se tornam especialistas em problemas. Eles tendem a não seguir a metodologia de perto e as políticas do programa. Além disso, eles tendem a ver o seu Diretor Executivo ou Diretor Consultor como uma pessoa de fora, em vez de um recurso ou treinador para apoiá-los a fazer melhor o trabalho e o processo do BNI. Eles tendem a seguir o caminho de menor resistência. É difícil para eles para crescer e ter sucesso, porque eles têm essa mentalidade de que é muito trabalho para fazer e eles simplesmente não querem seguir o programa. Aí fica tudo muito difícil.

Quase todos os grupos passam por estas quatro fases.

Grupos realmente bem-sucedidos tendem a passar mais tempo na fase “supercharged” e “engajada”. Quando eles começam a ver que estão para se tornar complacentes, chamam o Diretor e pedem ajuda. É focar no trabalho e voltar ao básico.

BNI tem milhares de grupos agora em dezenas de países. O importante é não reinventar a roda. O processo funciona muito bem para os grupos que usam as ferramentas e o apoio que é fornecido.

Priscilla, sobre estas quatro fases, quais são seus pensamentos?

Priscilla:
Eu estive em um grupo por 10 anos. Vi passar por muitas fases. Passamos de um grupo de mais de 40 para cerca de 18, uma queda gradual, claro, não todos ao mesmo tempo. As causas foram variadas.

Uma das coisas que eu acho que pode acontecer a um grupo é deixar de cuidar dos membros sem se certificar se estão satisfeitos de forma geral, desde a organização até as atividades extras.

As pessoas tem de se sentir bem para as coisas irem bem.

Ivan:
Então, Priscilla, você está em um grupo agora com cerca de 20 membros, mas você vê os ciclos e você vê o que você poderia ser melhorado. Qual é o seu foco agora com seu grupo?

Priscilla:
Quando percebemos que estávamos perdendo nosso grupo, nos tornamos até mais comprometidos, todos passaram a trabalhar mais para trazer convidados e recrutar novos membros..

Hoje temos uma ótima energia no grupo. Não há laranjas podres em nosso grupo hoje. São todas as pessoas incríveis, com grandes atitudes.

Ivan:
Nós fizemos um artigo no SuccessNet, minha esposa e eu, chamado “Adição por subtração”. Às vezes você tem que realmente reduzir o tamanho de um grupo para que ele cresça. É como roseiras. Você tem que cortar o mato em volta, alguns galhos para que ela volte a crescer. Para qualquer grupo que perdeu alguns membros, pode ser uma oportunidade para crescer e ser forte novamente.

Fico feliz que você pôde ver os ciclos acontecendo no seu grupo. A propósito, Priscilla, quando você voltar aos 40, me avise. Eu adoraria fazer um vídeo pessoal para o seu grupo e felicitá-los em bater essa marca.

Priscila:
Oh ótimo. Tudo bem, eu vou voltar para o meu grupo e dizer-lhes isso. Essa será a inspiração.

Ivan:
Muito obrigado. Agora, eu gostaria de receber mensagens dos brasileiros sobre qual a fase em que alguns grupos se encontram! Este é o podcast número 409. Entre no site Bnipodcast.com e deixe seu comentário para mim, por favor. De volta para você, Priscilla. Obrigado.

Priscilla:
Gostaria de lembrar aos ouvintes que este podcast chegou até vocês pelo BNI Brasil. Muito obrigado pela atenção. Sou Priscila Rice na voz de Kedma Franza, e nós esperamos você na próxima com mais um Podcast oficial do BNI.

One Comment

Post Comment