PODCAST BNI BRASIL | #601 – POR QUE COMETER TODOS OS ERROS? (Episódio 259)

PODCAST BNI BRASIL | #601 – POR QUE COMETER TODOS OS ERROS? (Episódio 259)

POR IVAN MISNER, BNI FOUNDER

EPISÓDIO 601: “Por que cometer todos os erros?

OUÇA MAIS NA PLAYLIST PODCAST BNI BRASIL

 

Priscilla:

Olá pessoal e bem-vindos de volta ao Podcast Oficial do BNI. Sou Priscilla Rice, e falo com vocês através do estúdio de gravação Oak em Berkeley, Califórnia. Hoje estou no telefone com o fundador e Presidente do BNI, Dr. Ivan Misner. Olá Ivan. Como e onde você está?

Ivan:

Olá Priscilla, estou ótimo. Ainda estou visitando os grupos do BNI na Austrália. Eu adoro visitar os grupos e conhecer os membros. Estou aqui desde a semana passada.

Priscilla:

Ótimo. O que você tem para compartilhar conosco hoje?

Ivan:

Hoje vai ser um podcast um pouco diferente. Geralmente meus podcasts são bem específicos sobre como fazer algo, ou alguma entrevista com alguém falando sobre como fazer algo, mas hoje eu quero contar uma história. Essa história se aplica ao nosso tema “por que cometer todos os erros?”. Para se tornar um bom networker você aprende com os erros e sucessos dos outros. Existem muitas técnicas de networking que são tão simples que até parecem ineficazes. Muitas vezes tentamos avaliar, melhorar e até mesmo complicar essas técnicas – isso é chamado de acréscimo desnecessário. Isso acontece quando começam a acrescentar coisas em algo que já funciona muito bem.

Eu tive uma experiência uma vez quando estava de férias e que me lembrou de como tentamos fazer coisas de uma forma mais difícil do que realmente são e que não temos sucesso como queremos nesse processo. Eu vou contar essa história e a moral dela quando estiver terminando.

Há alguns anos eu estava no Havaí, curtindo a praia, um lugar desconhecido para mim, a água era muito densa e tinha muitas caravelas-portuguesas, que são altamente tóxicas. Eu senti algo pegajoso no meu peito. Passei a mão no meu peito com meu braço direito – isso é importante – meu braço direito. Levantei meu braço e vi aqueles tentáculos grudando em mim e eu fui acompanhando os com meus olhos há quase 3 metros de distância estava essa enorme caravela-portuguesa. Tirei os tentáculos do meu braço e nadei para a costa o mais rápido que consegui.

Eu corri até o primeiro funcionário do hotel que eu vi. Era um rapaz servindo drinks perto da piscina. Eu disse:

“Oi. Eu acho que fui queimado por uma caravela-portuguesa. O que devo fazer?”

Ele disse:

“Bom, você está sentindo pressão no seu peito?”

Disse que não e então ele disse:

“Ok. Você precisa ir ao mercado, é logo depois do saguão. Compre vinagre e um amaciante de carne. Você vai passar o vinagre no seu peito e depois o amaciante de carne no mesmo lugar e esfregar onde foi queimado por um tempo. Você vai ficar muito bem depois”.

Eu achei esse conselho bem bizarro. Ele estava muito calmo. Eu fui queimado por uma caravela-portuguesa. Ele estava tão tranquilo e parecia fácil demais para ser uma solução – e meio estúpida também. Achei realmente que esse cara estava tentando me enganar. Ver se faria isso mesmo, para ele rir e tirar algumas fotos. Pensei que ele fosse louco.

Agradeci e sai, mas fui falar com outro funcionário do hotel que estava ali perto. Eu disse pra ele o que havia acontecido. Ele me perguntou se eu estava sentindo alguma pressão no peito, como o outro cara. Eu disse que não. E ele me disse que eu tinha que ir ao mercado comprar vinagre e amaciante de carne, colocar o vinagre primeiro e depois o amaciante de carne e então esfregar um pouco, e eu ficaria bem.

Eu não me senti nada seguro com isso. Eu pensei que esses caras fizeram uma reunião para aprender como enganar os turistas. Eu não acreditei nele e fui procurar o gerente do hotel. Eu achei que ele me daria uma resposta melhor, que ele não me daria a mesma resposta sem sentido. Quando eu o encontrei, eu disse o que havia acontecido e ele me perguntou se eu estava sentindo alguma pressão no peito. Eu disse que não estava sentindo pressão nenhuma. Ele disse:

“Ok, que bom. Logo depois do saguão tem um mercado. Compre vinagre e amaciante de carne. Coloque o vinagre no seu peito e depois o amaciante de carne e esfregue.”

Eu não acreditei, eu sabia que era uma brincadeira, mas eu decidi fazer isso. Relutantemente eu fui ao mercado e sabia que tinha aqueles caras lá rindo de mim. Eu imaginei que eles estariam me gravando pra poder rir depois. Entrei no mercado e comecei a procurar o que eles disseram que eu precisava. Enquanto estava procurando eu comecei a sentir falta de ar, e também de repente senti um peso esmagador no meu peito. Foi horrível. Parecia que eu estava infartando.

Eu sai da loja, fui cambaleando até a recepção e literalmente cai de joelhos e depois fiquei jogado no chão. Eu falava pra ligarem pra emergência. Me disseram que os paramédicos estavam a caminho. Eu estava jogado no meio do saguão e tinha uma menina parada do meu lado.

Imaginem essa cena. Um cara com roupas de banho jogado no chão com uma dor enorme. Aquela menina apontou para mim e disse:

“Olha mãe! Olha o homem no chão!”

E a mulher disse:

“Fique longe dele. Isso é o que acontece quando se usa drogas.”

Eu falei que não era drogas e sim uma caravela-portuguesa.

Os paramédicos chegaram e eu sabia que eles me dariam a assistência que eu realmente precisava. Depois que eles descobriram o que havia acontecido, o paramédico abriu seu kit salva-vidas, e eu sabia que eles iam pegar um desfibrilador. Eu estava me preparando para aceitar isso e me segurei porque eu sabia que ia levar um choque. Ao invés disso, o paramédico tirou da sua bolsa uma garrafa com spray de vinagre e amaciante de carne.

Ele continuou o procedimento colocando o vinagre e o amaciante de carne no meu peito e esfregando cuidadosamente. Dentro de segundos, Priscila, segundos, a dor excruciante começou a desaparecer. Em alguns minutos, ao invés de dor, havia algumas bandagens – e lembre, eu usei meu braço para retirar os tentáculos de mim, então o que aconteceu foi que os tentáculos foram para o meu braço e foi aí que o veneno entrou em mim.

Depois do vinagre e do amaciante de carne, a dor tinha sumido completamente. O que eu pensei que fosse a maior besteira do mundo acabou sendo uma cura bem conhecida para queimaduras de caravelas-portuguesas. Alguns amaciantes de carne contém uma enzima, acho que é papaína, que quebra as proteínas da toxina e as neutraliza, e o vinagre é um meio de levar essa enzima ao sistema sanguíneo. Essa combinação faz efeito bem rápido.

Agora, por que eu estou contando essa história? Aqui está a forma como isso se aplica a você como ouvinte: Pensando no ocorrido, eu fiquei surpreso com quantas pessoas deram a solução pro meu problema, mas eu precisei aprender da pior forma. Sabe, eu pensei “Quem acredita em alguém servindo drinks? Ele não sabe de nada. Um funcionário, talvez haja um padrão, mas eu tenho um doutorado. Sou esperto. Eles estão brincando comigo. O gerente do hotel, ok, eu admito, não tem desculpas, eu preciso ir nesse mercado.”

Eu cometi um dos maiores erros que os empresários fazem. Eu não ouvi as pessoas que já tem experiência. Eu achei que sabia mais que eles. A verdade é que eu não sabia nada. Não há nada melhor que ter experiência. É melhor do que alguma formação. A única coisa que é melhor é a combinação da educação com a experiência – ou pelo menos a vontade de aprender com os que já tem experiência.

Existem tantas técnicas básicas de marketing e networking que todos os bons empresários sabem ser efetivas. Eles não tentam fazer coisas complicadas porque eles sabem pelas experiências que tiveram o que funciona e o que não funciona no mundo dos negócios.

Se você está ouvindo este podcast, pense na sua vida. No futuro, talvez você lerá coisas que parecem bem simples e que você acha que já ouviu antes. Não descarte essas coisas, use-as. Principalmente se você está ouvindo essas coisas de pessoas que você sabe que são bem-sucedidas.

Opiniões são como narizes. Todo mundo tem um. Todo mundo vai te dar uma opinião sobre alguma coisa, apenas leve em consideração as das pessoas que tem experiência. Mesmo que seja uma ideia simples, escute. Quando se trata de networking – se fosse algo fácil, todos fariam isso, mas não é. Os melhores networkers aprendem com as falhas dos outros e também com os sucessos.

Pegue o seu vinagre e amaciante de carne e aprenda com os mestres. Aprenda com as pessoas do seu grupo, diretores, consultores – até mesmo com este podcast. Aprenda com todas as pessoas para que você não tenha que cometer os mesmos erros que outras pessoas cometeram. Essa é minha mensagem hoje, Priscilla.

Priscilla:

Ótimo. Eu amei essa história! Muito obrigado por este podcast, Dr. Misner.

Ivan:

Obrigado, Priscilla, e a vocês membros ouvindo esse podcast. Diretores, compartilhem esse podcast com seus membros. É bem divertido e tem uma ótima mensagem. Compartilhem com as pessoas do seu trabalho, compartilhe com todo mundo.

Priscilla:

Ok. Ótimo. Muito obrigada. Eu acho que é isso então.  Para mais conteúdo do Ivan, acesse IvanMisner.com. E muito obrigada por ouvir. Sou Priscilla Rice, e esperamos que se juntem a nós na próxima semana para mais um animador episódio do Podcast Oficial do BNI.

 

Post Comment